11 Famílias celebraram o NATAL nas novas habitações reconstruídas pela Cáritas Diocesana de Portalegre – Castelo Branco

No passado mês de Agosto, a Cáritas Diocesana assumiu o compromisso de reconstrução de 15 habitações ardidas nos Incêndios Florestais, na área da Diocese de Portalegre – Castelo Branco, a maior área ardida nos incêndios florestais do verão passado.

Foi por entre o clamor das famílias que choravam de dor pela perda do seu património pessoal e com ele, parte da sua história que desaparecia na voragem das chamas; da luta e do clamor dos autarcas perante a injusta distribuição dos meios de combate aos incêndios; do sofrimento dos párocos que juntaram a sua dor à dor das famílias das suas comunidades, que não lhes regatearam o seu labor, numa presença permanente, de ajuda espiritual e também material; foi neste ambiente que a Cáritas Diocesana, conjuntamente com os párocos visitaram as famílias afectadas, os territórios ardidos e algumas zonas ainda em combustão.

 

Continuar...

 

“Acolher é Amar e deixar-se Amar”

No dia 30 de Outubro, a convite do Núcleo da Amnistia Internacional de Estremoz, participámos na Sessão Pública "O Direito a ter um lugar no Mundo".

Perante a preocupação com a situação dos refugiados, foi-nos pedido que falássemos sobre o Acolhimento que vimos fazendo com as pessoas que estão refugiadas em Portalegre.

Assim, como sabem, no âmbito do Projecto “Língua, Cultura e Cidadania”, acolhemos na Cáritas Diocesana de Portalegre-Castelo Branco, diariamente, muito concretamente, o Grupo RrefugiALACER., e desenvolvemos, inclusive, várias actividades que ajudam na sua integração.

De acordo com o solicitado, foi feita a abordagem que transcreveremos sobre Acolhimento, intitulada: ACOLHEMOS: Sim, Não ou Talvez?

Tratou-se de um momento que possibilitou, através de imagens de powerpoint, passado praticamente, em simultâneo, dar a conhecer as actividades já desenvolvidas, esclarecer algumas dúvidas e de permitir igualmente, uma reflexão sobre este tema.

Contudo, o momento mais importante e mais esperado, prendeu-se, sem dúvida, com a presença dos refugiados e com os testemunhos na primeira pessoa.

ACOLHEMOS: Sim, Não ou Talvez?

 

Continuar...

 

Cáritas Diocesana de Portalegre – Castelo Branco iniciou a reconstrução das habitações ardidas no território da Diocese

Um mês após os incêndios florestais, que deflagraram no território da Diocese de Portalegre – Castelo Branco,  a Cáritas Diocesana assumiu o compromisso de reconstrução parcial de 13 habitações3 de reconstrução totalaquisição de equipamento para 2 empresas familiares.

 

Nesta data já procedeu à recuperação de 1 habitação e outra está em fase de acabamento. Foi feito ajuste direto destas obras, por se tratar de reparações inferiores a 5.000,00 €.  Já adquiriu equipamento para 1 empresa poder reiniciar a atividade e aguarda orçamento para a outra empresa. Celebrou “Contrato para a Realização das Obras de Reconstrução de Edificação” com 6 Empresas do Concelho de Mação para recuperar 6 habitações ardidas naquele Concelho e 1 Empresa do Concelho de  Vila Velha de Ródão, também para a recuperação de uma habitação. O início dos trabalhos ocorrerá de 11 de Setembro até ao final do mês. Prevendo-se a conclusão de todas as obras, entre o final de Novembro e o dia 15 de Dezembro.

A intervenção global das adjudicações comporta o valor de 119,714,27€. Aguarda orçamentos para 4 habitações no Concelho de Vila de Rei e 2 no Concelho de Abrantes.

O Valor total das obras previstas, de acordo com as estimativas de custos, feita pelas respetivas autarquias, ascende a 572.411,65€.

A Cáritas Diocesana já recebeu da Cáritas Portuguesa a importância de 470.014,19 €, para poder efetuar pagamentos.

De salientar a rápida intervenção da Cáritas Diocesana, para a qual contou, para além da disponibilização das verbas por parte da Cáritas Portuguesa, com a prestimosa colaboração dos respetivos párocos  e das Câmaras Municipais que se prontificaram a facilitar a organização processual, concretamente com a análise às propostas de orçamento, a caraterização social das famílias vitimadas pelos fogos florestais e o acompanhamento técnico das obras.

 

MENSAGEM DE SUA SANTIDADE PAPA FRANCISCO PARA O DIA MUNDIAL DAS MISSÕES 2017